2 de out de 2014

A história do esmalte

         Boa tarde gente! Tudo na tranquilidade aí? Comigo está tuuudo certo!

         Hoje eu fui dar uma olhada nos meus posts que tenho guardado aqui para ir postando para vocês e acabei encontrando um bem antiguinho, acho até que foi um dos primeiros posts que fiz, bem no início do blog. Acabei não postando, e eu não sei por quê. Mas eu achei interessante e vou colocá-lo aqui.
        O assunto de hoje é sobre a história do esmalte, ou seja, como ele surgiu. Não sei se vocês já pesquisaram o assunto meninas, mas eu procurei em alguns sites a história e achei bem legal.
Aguenta aí, que o texto é compridão, mas vale a pena ler (estou realmente escrevendo textos gigantes, que nem a Cris, do blog Francristein! Haha, beijo Cris!!). Então, vamos a ela?

Conforme o que eu li, 


     as mulheres egípcias aplicavam uma tintura de henna preta nas unhas. As cores mais vibrantes ficavam relegadas ao uso da família real e chegavam a despertar algumas preferências entre as rainhas do Egito. Cleópatra tinha uma clara preferência pela tonalidade vermelho-escura. Já Nefertiti tinha mais gosto pelo esmalte de tom rubi.

Fonte: http://www.historiadomundo.com.br/curiosidades/historia-do-esmalte.htm

       O mesmo poder de distinção social observado no uso do esmalte entre os egípcios também era perceptível entre os chineses. Em meados do século 3 a.C., o uso de tons vermelhos e metálicos (feitos com soluções de prata) significavam a ocupação de um lugar privilegiado na hierarquia social. Já entre os romanos, a pintura dava lugar a tratamentos com materiais abrasivos que faziam o polimento das unhas.




Olha meu cabelo pintado de vermelho (na verdade era pink!).

        Na China, as mulheres utilizavam uma mistura de clara de ovo, cera de abelha, gelatina e pétalas de flores, que eram esmagadas para que a cor ficasse rosada ou avermelhada dependendo de quanto de pétalas eles colocavam… Na China, unhas compridas representavam a beleza.

     Já por volta do ano de 1800, as unhas curtas e arredondadas eram as preferidas. Em 1830, foi criado na Europa o afastador de cutículas, para facilitar a vida das mulheres, já que  antes elas eram tiradas com ácidos e tesouras…
     





     A tecnologia para o tratamento das unhas ficou relativamente estagnada até o século XIX. Nessa época, os cuidados se restringiam à obtenção de unhas curtas e que estivessem moldadas por uma boa lima. Em alguns casos, as unhas eram ligeiramente perfumadas com óleo e polidas com uma tira de couro. Numa época em que o recato era uma importante virtude, a extravagância dos esmaltes não seria nenhum pouco prestigiada.




     Até essa época, uma das grandes descobertas foi a invenção do palito, até hoje utilizado para a remoção das cutículas. No começo do século XX, os esmaltes começaram a recuperar espaço com o uso de soluções coloridas que não permaneciam fixadas mais do que algumas horas. Somente em 1925, durante estudos que desenvolviam tinturas para carros, foram descobertas as primeiras soluções que se assemelham com os esmaltes de hoje.



    Na sua primeira versão, o produto era de um tom rosa-claro e era aplicado no meio das unhas. Chegando à década de 1930, já podemos notar que a “pintura” nos dedos do pé e da mão fazia muito sucesso entre as grandes estrelas do cinema hollywoodiano, como Rita Hayworth e Jean Harlow. No ano de 1932, os irmãos Charles e Joseph Revlon custearam a invenção de um novo tipo de esmalte, mais brilhante e com um leque variado de tonalidades.


Rita Hayworth

Jean Harlow

Tô inspirada, então lá vai mais algumas esmaltações com esmalte vermelho:




    Nas décadas seguintes, vemos que a tecnologia empregada foi se tornando cada vez mais complexa. As unhas postiças parecem como uma boa alternativa de se chamar a atenção sem gastar horas na manicure. Há poucos anos foram disponibilizadas máquinas capazes de imprimir uma imagem digital nas unhas. Difícil é saber onde a indústria da beleza pode chegar a fim de atiçar a vaidade feminina. 
Fonte: http://www.historiadomundo.com.br/curiosidades/historia-do-esmalte.htm

E mais algumas fotos de esmaltes vermelhos, haha!




     E aí meninas, gostaram de saber um pouco sobre como surgiu o esmalte? Vocês devem ter percebido que eu só postei minhas unhas esmaltadas com esmaltes vermelhos (ah vá!!), porque concordo com o texto, eu acho realmente esmalte vermelho muito glamouroso, apesar de eu usar pouco, já que a lista de espera dos meus esmaltes está grande. 
    O vermelho fica lindo decorado, com pedrarias, com fitinhas, com carimbos, com brilho, com glitter e só ele puro. Mas e vocês meninas, também acham o vermelho glamouroso? Qual  o tom de vermelho que vocês mais gostam de usar? Ou acham que tem cores mais elegantes que a vermelho? Enquanto eu ia pesquisando o assunto, fiquei pensando, será que é por isso que o vermelho é tão usado e aceitado atualmente com um esmalte elegante e que combina com tudo? Ou vocês consideram que essa moda do vermelho já passou, e que os esmaltes coloridos são igualmente aceitáveis hoje em dia, para serem usados em qualquer momento e em qualquer ocasião? MOMENTO POLÊMICA!! haha.
    Ah, tenho outra pergunta para vocês, preferem unhas compridas ou curtas? Ou, como eu, vocês mudam o tamanho das unhas de acordo com o humor? haha. Ah, não respondi às minhas próprias perguntas, mas eu prefiro esmalte vermelho mais escuro, acho mais glamouroso. Mas no verão, adoro usar esmaltes mais alaranjados, sei lá, eu gosto de usar esmaltes que combinam com a estação.
  Quando eu li, me lembrei sobre a história da tintura de carro. Eu sempre escuto dos homens, principalmente quando uso esmaltes metálicos, que eles parecem pintura de carro, acho muito engraçado como os homens associam o esmalte com a tinta de carros, hehe. 
   E vocês meninas, quais os próximos lançamentos que vocês acham que estão por vir? Quais as novas tecnologias que iremos usar em esmaltes daqui a um tempo? 
Desculpa falar tanto, mas realmente me empolguei lendo sobre os esmaltes e pensando em seu passado e no futuro dos esmaltes!! 

Enfim, deixem suas opinões, vou adorar saber se vocês pensam muito diferente de mim ou não, se gostaram desse texto e se já procuraram sobre a história dos esmaltes.

Beijo grande e até mais (talvez hoje eu poste mais alguma coisa por aqui!). 
Senão nos vemos amanhã meninas!!



Nenhum comentário:

Postar um comentário